trending Market Intelligence /marketintelligence/en/news-insights/trending/YeqWhyyLgAS75W2Eay9lvw2 content
Log in to other products

Login to Market Intelligence Platform

 /


Looking for more?

Contact Us
In This List

Caixa exercerá direito de 'tag along' na venda da participação do BTG na Pan Seguros

Banking Essentials Newsletter - November Edition

Online Brokerage Space Should Remain Rich Source Of M&A

University Essentials | COVID-19 Economic Outlook in Banking: Rates and Long-Term Expectations: Q&A with the Experts

Estimating Credit Losses Under COVID-19 and the Post-Crisis Recovery


Caixa exercerá direito de 'tag along' na venda da participação do BTG na Pan Seguros

* A Caixa Econômica Federal informou ao BTG Pactual Group que exercerá seu direito de "tag along" com relação à venda da participação do BTG na Pan Seguros SA para a CNP Assurances SA, com sede na França, informou o Diário de Pernambuco. A opção permite que a Caixa venda sua participação na Pan Seguros nos mesmos termos de venda da participação do BTG.

MÉXICO E AMÉRICA CENTRAL

* O Banregio Grupo Financiero SAB de CV está abrindo a quarta filial em Querétaro este ano e pretende expandir a presença em toda a região do Bajío, no México, informou o El Financiero. O banco também pretende inaugurar novas filiais em Irapuato, Aguascalientes e San Luis Potosí, disse Enrique Arce González, diretor regional do grupo.

* O Principal Financial Group S.A. de C.V., Grupo Financiero do México está pronto para investir no Fibra E, um novo veículo de investimento para os setores de energia e infraestrutura, mas ainda não recebeu o convite para tanto, informou o El Economista, citando Juan Manuel Verón, diretor de investimentos da empresa.

* O Panamá e a Alemanha concordaram em negociar um acordo de troca de informações fiscais e reforçar as relações econômicas bilaterais entre os dois países, informou o Capital Financiero.

* As autoridades mexicanas investigarão um fundo pertencente ao Deutsche Bank México S.A. Institución de Banca Múltiple na tentativa de constatar irregularidades nos negócios referentes à falência da empresa de serviços petrolíferos Oceanografia, informou o El Economista.

BRASIL

* Uma comissão especial do Senado brasileiro decidiu apoiar o relatório que recomenda prosseguir com o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, informou a Bloomberg News. O Senado deve votar a medida em 11 de maio.

* A AXA está disposta a ampliar ainda mais sua presença no Brasil por meio de aquisições e espera que o setor de seguros do país sul-americano cresça 10% em 2016, informou a Bloomberg News, citando Philippe Jouvelot, presidente da subsidiária da seguradora francesa no Brasil.

* A Caixa Econômica Federal obteve receita líquida de 838 milhões de reais no primeiro trimestre, uma queda de 46% em relação ao mesmo período do ano anterior, informou o Valor Econômico. O banco rejeitou as especulações segundo as quais ele precisa de uma infusão de capital para reequilibrar suas contas.

* O Ministério Público Federal do Brasil apresentou queixas contra o Banco Santander (Brasil) S.A. e outras duas empresas por supostamente pagarem propinas a funcionários do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do país, informou o Valor Econômico. O banco negou as acusações.

* A SENACON, Secretaria Nacional do Consumidor, aplicou uma multa de 3,6 milhões de reais ao HSBC Bank Brasil SA - Banco Múltiplo pela cobrança de taxas de cadastro a clientes que já tinham contas no banco, informou o Valor Econômico.

* Após uma decisão tomada por um tribunal de falências em São Paulo, o FGC, Fundo Garantidor de Crédito brasileiro, será o último credor do Banco Cruzeiro do Sul SA a ser considerado para reembolso no processo de falência do banco, informou o Valor Econômico. O FGC informou que pretende recorrer da decisão.

* O Banco Santander (Brasil) SA, o Banco do Brasil SA e o Itaú Unibanco Holding SA estão entre os bancos brasileiros que se beneficiaram com a recente decisão judicial que impede que estados e municípios cobrem o imposto sobre serviços ISS sobre certas atividades bancárias, informou o Valor Econômico.

* A empresa de logística brasileira Log-In chegou a um acordo com o Banco Santander (Brasil) SA, Banco do Brasil SA, Itaú Unibanco Holding SA e HSBC Bank Brasil SA - Banco Múltiplo para reestruturar 411 milhões de reais da dívida da empresa, informou o Valor Econômico.

* A pouca sobreposição entre as empresas BM&FBOVESPA SA – Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros e Cetip SA – Mercados Organizados deve facilitar a aprovação, por parte do órgão regulador CADE, da fusão planejada entre as empresas, informou o Diário Comércio Indústria & Serviços.

REGIÃO ANDINA

* O Banco Ripley Perú SA pretende abrir 40 financeiras, conhecidas como Estaciones R, nos próximos três anos para oferecer aparelhos elétricos e produtos financeiros, informou o El Comercio, citando comentários do CEO René Jaime. "Se a diretoria aprovar, daremos início a uma expansão agressiva desta rede [de lojas]", disse Jaime.

* Fernando Dasso, CFO da Credicorp Ltd., disse, em uma teleconferência, que o crescimento total do crédito no Peru pode chegar a 15% em 2016, informou o El Comercio. O executivo tem observado, nas últimas semanas, uma nova disposição das empresas para fazer investimentos.

CONE SUL

* O Banco de Chile demitiu quatro altos executivos como parte de uma reorganização após Eduardo Ebensperger Orrego ter assumido a posição de CEO na empresa. As demissões incluem Andrés Bucher, diretor da Banchile Corredores de Bolsa S.A., e Jorge Muñoz, diretor da Banchile Citi Global Markets, informou o Diario Financiero, citando um memorando interno. Os diretores de divisão Armando Armiño e Christian Schiessle também foram demitidos.

* O Inversiones La Construcción SA, ou ILC, assinou um acordo com o Corp Group Banking SA, o Fondo de Inversión Privado Corp Vida e o Corp Group Interhold SpA, para adquirir as ações remanescentes do grupo na controladora Inversiones Confuturo por 49,27 bilhões de pesos chilenos. As negociações devem ser concluídas em junho.

* A Moody's retirou todos os ratings do Banque Heritage (Uruguay) SA por razões próprias, inclusive os ratings B3 de depósito global em moedas local e estrangeira de longo prazo do banco.

* A S&P Global Ratings elevou os ratings de crédito soberano em moeda estrangeira de longo e curto prazos da Argentina de SD e D para B- e B, respectivamente. A medida reflete a resolução que o país deu à inadimplência de seus títulos em moeda estrangeira, que começou em julho de 2014.

* O crédito ao consumidor no Uruguai subiu 0,5% no comparativo anual, em março, depois de cair 4,5% ao ano no mês anterior, de acordo com o índice de financiamento do consumo proposto pelo El Observador.

* O uso do cartão de crédito no Paraguai caiu 7,8% nos sete meses até março depois que o país instituiu uma lei, em setembro de 2015, que limita as taxas de juros que os bancos podem cobrar sobre cartões, informou o La Nación, citando dados do Banco Central del Paraguay.

PANORAMA DA AMÉRICA LATINA

* A variação global da classificação das finanças corporativas ficou negativa em 2015 à medida que a relação entre rebaixamentos e elevações das notas atingiu 1,5 para 1, em comparação com a moderada relação de 0,9 para 1 no ano anterior, de acordo com a Fitch Ratings. A taxa de estabilidade geral de todas as finanças corporativas diminuiu ligeiramente de 77% para 74% em 2014.

A S&P Global Inc. adquire S&P Ratings e Global Market Intelligence.

Matthew Craze contribuiu para esse artigo.

The Daily Dose tem um prazo editorial de 8:00 am horário de São Paulo, e verifica as fontes de notícias publicadas em inglês, português e espanhol. Alguns links externos podem exigir uma assinatura.