trending Market Intelligence /marketintelligence/en/news-insights/trending/tevhfVTYTrVNplEf0yZVCw2 content esgSubNav
In This List

Zurich Brasil funde segmentos de seguros; S&P confirma notas da Colômbia

Blog

Investment Banking Essentials Newsletter April Edition - 2022

Blog

Banking Essentials Newsletter April Edition - 2022

Blog

Investment Banking Newsletter April 2022

Blog

Banking Essentials Newsletter - April Edition


Zurich Brasil funde segmentos de seguros; S&P confirma notas da Colômbia

* A Zurich Brasil Seguros S.A. juntou os segmentos de seguros empresariais e comerciais e formou um novo segmento de mercado intermediário para melhorar a eficiência para seus parceiros e clientes. Glaucia Asvolinsque Smithson, que atuou na empresa como diretora de seguros empresariais contra acidentes, vida e aposentadoria, foi convidada a ser diretora de mercado intermediário.

* A S&P Global Ratings confirmou as notas de crédito soberano de longo prazo em moeda estrangeira e local da Colômbia como BBB e BBB+, respectivamente, com perspectiva negativa. As confirmações e a perspectiva negativa equilibram as tendências compensatórias, já que, por um lado, o pacote fiscal recentemente aprovado pelo Congresso deve reforçar a base tributária do governo e facilitar a redução do déficit fiscal. Por outro lado, a S&P observou um agravamento da carga de juros do governo e do balanço externo do país.

MÉXICO E AMÉRICA CENTRAL

* O diretor financeiro do Citigroup Inc., John Gerspach, disse que a empresa não tem planos de vender a unidade mexicana Banco Nacional de México SA Integrante del Grupo Financiero Banamex e que a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas não mudou a estratégia da empresa no México, informou o El Economista.

CARIBE

* A República Dominicana estabeleceu possíveis preços iniciais na faixa inferior de 6% para uma nova oferta de títulos de 10 anos denominada em dólares americanos, informou a IFR, citando "duas fontes do mercado".

BRASIL

* O Banestes SA - Banco do Estado do Espírito Santo informou que o recém-nomeado CEO, Michel Neves Sarkis, também foi escolhido para integrar a diretoria do banco. Sarkis substituirá o CEO Guilherme Gomes Dias, que deixará os cargos de executivo e de diretoria no dia 31 de janeiro.

* A Aon Plc informou que fechou a aquisição da Admix, corretora de saúde e benefícios, com sede no Brasil, que conta com mais de 1,4 milhão de beneficiários entre cerca de 6.700 empresas. Os termos financeiros do acordo não foram divulgados.

* A seguradora francesa AXA está em negociações para possivelmente adquirir uma seguradora de saúde no Brasil, informou O Estado de São Paulo. Três empresas brasileiras estão sendo consideradas, embora as negociações estejam mais avançadas com uma delas, afirmou a reportagem sem mencionar nenhuma das possíveis candidatas.

* O Brasil não está preocupado com o impacto do fortalecimento do dólar norte-americano, uma vez que as expectativas de retomada econômica e o aumento dos preços das commodities ajudaram a fortalecer o real, informou a Reuters, citando o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn. O real se fortaleceu em torno de 1% até agora em 2017.

* O presidente do HSBC Holdings Plc, Douglas Flint, disse que a venda da unidade brasileira do banco ao Banco Bradesco SA em 2016 resultou em prejuízo contábil, mas, mesmo assim, foi a decisão certa, já que a unidade carecia de escala e não tinha como competir com rivais maiores, informou o Valor Econômico.

* A diretoria e os executivos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social estão em desacordo sobre a melhor forma de corrigir um déficit atuarial no FAPES, fundo de aposentadoria dos funcionários do banco, informou O Estado de São Paulo. Foi dito anteriormente que o banco estava à procura de um consultor especializado para avaliar a posição atuarial do FAPES.

REGIÃO ANDINA

* Os empréstimos bancários no Peru totalizaram cerca de 235,37 bilhões de soles peruanos em dezembro de 2016, um aumento de 4,43% em relação ao ano anterior, quando ajustado a uma taxa cambial constante, de acordo com dados da associação bancária ASBANC. A principal razão para o crescimento, que subiu em relação à taxa de crescimento de 3,62% observada em novembro de 2016, foi o aumento dos empréstimos corporativos em meio à melhor expectativa de crescimento econômico do Peru em 2017.

* A Colômbia lançou uma oferta de títulos, dividida em duas partes, no valor 2,5 bilhões de dólares e acumulou 9 bilhões de dólares em pedidos pela dívida, informou a IFR, citando um dos líderes do negócio. O país pretende usar os recursos para fins orçamentários gerais.

* O Banco De Desarrollo De América Latina emitiu um título de referência de cinco anos, no valor de 750 milhões de euros, com um cupom de 0,50%. Um terço dos pedidos veio de bancos centrais e instituições oficiais de vários países, enquanto o restante foi feito por administradoras de ativos, seguradoras, bancos e fundos de pensão.

* O senador colombiano Jorge Robledo denunciou a diretoria do Banco Agrario de Colombia SA por aprovar um empréstimo de 120 bilhões de pesos colombianos à contrutora brasileira Odebrecht em 2015, quando esta já estava em apuros financeiros, informou o El Economista.

* O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria Colombia SA desembolsará, nos próximos dias, um empréstimo de 320 bilhões de pesos colombianos para ajudar a estabilizar as finanças da concessionária pública estatal Electricaribe, informou o Portafolio. O empréstimo terá uma garantia soberana.

CONE SUL

* O Banco de Inversión y Comercio Exterior SA informou que Patricio Harte deixou o cargo de vice-gerente geral do banco. A empresa não nomeou imediatamente um substituto nem ofereceu uma razão para sua saída.

* O Banco Santander Río S.A. deve conseguir atingir as metas de crescimento sem comprometer significativamente o poder de crédito, mesmo com a aquisição pendente do segmento de varejo bancário do Citibank NA, com sede na Argentina, informou a Moody's. No entanto, o banco enfrenta desafios devido à possível deterioração do capital após a compra do Citi, bem como suas despesas operacionais relativamente altas e a crescente exposição a clientes de varejo de risco relativamente alto, observou a agência de classificação de risco.

* A província argentina de San Luis encerrou um contrato segundo o qual o Banco Supervielle SA atuava como agente financeiro da província. A decisão entrará em vigor em 28 de fevereiro. O banco informou que analisará os efeitos da decisão do governo provinciano, mas não prevê nenhum impacto substancial sobre sua situação econômica, financeira ou patrimonial.

* A Rombo Compañía Financiera SA anunciou que pretende leiloar, em 25 de janeiro, títulos de 24 meses, no valor de até 100 milhões de pesos argentinos, podendo chegar a 180 milhões de pesos. Os títulos pagarão uma taxa de juros anual variável equivalente a uma taxa básica acrescida de uma margem de corte a ser definida pela empresa.

* O presidente da Argentina, Mauricio Macri, nomeou o ex-presidente do Banco Central, Javier González Fraga, como novo presidente do banco estatal Banco de la Nación Argentina, substituindo Carlos Melconian. Em um pronunciamento, Macri agradeceu Melconian por sua "paixão e dedicação" à frente do banco, mas não apresentou nenhuma razão para sua saída. Melconian, que era um dos principais assessores de Macri, assumiu o cargo no Banco de la Nación em 2015.

* Em uma pesquisa realizada pelo banco central do Chile, credores locais informaram que a demanda por empréstimos por grandes empresas e PMEs foi mais forte no quarto trimestre de 2016 em comparação com o trimestre anterior, embora as condições de financiamento tenham permanecido restritas, sobretudo para empréstimos ao consumidor. As melhores condições de crédito parecem ter impulsionado a maior demanda.

* O Chile lançou uma oferta de títulos no valor de 1 trilhão de pesos chilenos, informou a IFR, citando um dos líderes do negócio. O novo título, com vencimento em 2021, é uma oferta de um instrumento precificado em 2016 e está sendo emitido em formato Euroclear para investidores estrangeiros, disse uma "fonte a par do negócio".

* Em 19 de janeiro, a Argentina deve precificar uma oferta de títulos em dólares americanos, dividida em duas partes, em que as reservas de pedido pelo negócio já atingem 14 bilhões de dólares, informou a IFR. O país definiu possíveis preços iniciais na faixa superior de 5%, para notas de cinco anos, e na faixa inferior de 7%, para notas de 10 anos.

* A divisão de gestão de ativos do BTG Pactual espera que o índice da bolsa de valores IPSA do Chile, que cresceu 12,41% em 2016, continue registrando ganhos em 2017, embora as eleições presidenciais de novembro possam gerar certa volatilidade, informou o Diario Financiero.

PANORAMA DA AMÉRICA LATINA

* Segundo a Moody's, a emissão global de títulos verdes atingirá outro recorde em 2017 e pode até chegar a 206 bilhões de dólares, após um aumento de 120%, que chegou a 93,4 bilhões de dólares em 2016. "O mercado também pode ser impulsionado globalmente por medidas do setor público para estimular a emissão de títulos verdes por meio de incentivos fiscais, ou táticas semelhantes, além de mais debates e avanços em torno da geração e publicação de relatórios harmonizados, inclusive sobre impactos", disse Henry Shilling, vice-presidente sênior da agência de classificação de risco.

A S&P Global Inc. adquire S&P Global Ratings e S&P Global Market Intelligence.

Matthew Craze contribuiu para esse artigo.

The Daily Dose tem um prazo editorial de 8 am horário de São Paulo, e verifica as fontes de notícias publicadas em inglês, português e espanhol. Alguns links externos podem exigir uma assinatura.