trending Market Intelligence /marketintelligence/en/news-insights/trending/Go30_4T05F1dhVnqA0fZ0Q2 content esgSubNav
In This List

Colômbia: FARC assinam acordo de paz; Moody’s mantém perspectiva negativa para bancos brasileiros

Blog

Latin American and Caribbean Market Considerations Blog Series: Focus on LGD

BLOG

Banking Essentials Newsletter: June Edition

Case Study

กรณีศึกษา A Bank Takes its Project Finance Assessments to a New Level

Blog

Fintech Intelligence Digital Newsletter: May 2021


Colômbia: FARC assinam acordo de paz; Moody’s mantém perspectiva negativa para bancos brasileiros

* O governo colombiano firmou um acordo de paz com rebeldes das FARC em 26 de setembro, terminando uma guerra que durou décadas e ceifou um quarto de milhão de vidas, informou a Reuters. Pesquisas de opinião mostram que os colombianos devem ratificar o acordo em uma votação em 2 de outubro. O Secretário de Estado americano John Kerry disse que os Estados Unidos vão considerar retirar o grupo rebelde da lista de organizações terroristas, informou a agência de notícias em artigo separado.

* A Diretora-Gerente do Fundo Monetário Internacional Christine Lagarde disse que a agência estenderá uma linha de crédito de 11 bilhões de dólares à Colômbia à medida que o país implementar um plano de paz após o acordo histórico com rebeldes das FARC, informou o Portafolio.

* A Moody's manteve sua perspectiva negativa do sistema bancário brasileiro em função da fraca recuperação econômica do país. A agência de classificação de risco espera que a lucratividade e a qualidade de ativos do setor "continuem a enfrentar pressão devido aos efeitos desaceleradores de uma recessão profunda da qual o Brasil está apenas começando a emergir". A Moody's prevê que o PIB do Brasil tenha uma retração de 3,5% em 2016.

MÉXICO E AMÉRICA CENTRAL

* Governos da América Central têm potencial limitado de classificações positivas por enfrentarem desafios estruturais que prejudicam o crescimento econômico, disse a Fitch Ratings. "A Fitch acredita que avanços para resolver esses desafios será crucial, pois vários países têm problemas de competitividade com raízes profundas, em parte devido a baixo capital humano e ambientes de negócios difíceis", declarou a agência de classificação de risco.

* Empresas de tecnologia financeira representarão cada vez mais concorrência para os bancos tradicionais no México e, assim, novas empresas do segmento não devem ter de enfrentar grandes obstáculos regulatórios para entrar em atividade, informou o El Economista, citando Alejandra Palacios, presidente da comissão federal mexicana de concorrência COFECE.

* A comissão mexicana de bancos e valores CNBV disse que mais de 1.000 profissionais do setor bancário do país receberam certificação para prevenção de lavagem de dinheiro e de financiamento de terrorismo, informou o El Economista. Todos os 47 bancos que operam no México têm um funcionário de compliance certificado, segundo a CNBV.

* O governo do estado mexicano de Jalisco obteve uma linha de crédito de 500 milhões de pesos mexicanos do Grupo Financiero Banorte S.A.B. de C.V. para financiar projetos de infraestrutura, informou o El Economista. Dentre as ofertas das três instituições financeiras envolvidas, a do Banorte teria apresentado os melhores termos.

CARIBE

* A S&P Global Ratings confirmou como B as notas de crédito soberano de longo e curto prazos em moeda estrangeira e local da Jamaica, com uma perspectiva estável nas notas de longo prazo. A agência de classificação de risco supõe que a solvência do país permanecerá limitada devido à dívida geral do governo e carga de juros altas, à economia fraca e à vulnerabilidade a choques externos. Todavia, a S&P também acredita que o novo governo da Jamaica continuará cumprindo metas fiscais ambiciosas, potencialmente preparando o terreno para maior crescimento do PIB nos próximos anos.

BRASIL

* O ex-Ministro da Fazenda brasileiro Antônio Palocci foi preso em 26 de setembro como parte de uma investigação de corrupção na empresa petrolífera estatal Petrobrás, informou a Reuters. Entre outras alegações, acredita-se que Palocci tenha aprovado empréstimos irregulares do estatal Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para o conglomerado de engenharia e construção Odebrecht SA.

* O Banco Central do Brasil mudou sua previsão do déficit em conta corrente em 2016 para 18 bilhões de dólares, informou a Bloomberg News. A previsão mais alta se deve a mudanças nas estimativas de importações e de viagens internacionais, que tiveram um aumento acompanhando um real mais forte.

* A federação brasileira de bancos FEBRABAN e agências do governo estão avaliando em conjunto medidas para reduzir o volume de saques em dinheiro no país para reduzir os riscos de lavagem de dinheiro e assaltos, informou o Valor Econômico.

* A federação brasileira de bancos FENABAN voltará à mesa de negociação com sindicatos em 27 de setembro e tentará encerrar a greve em vigor há mais de 20 dias, informou o Valor Econômico. Os dois lados não conseguiram chegar a um acordo salarial em pelo menos duas rodadas de negociações anteriores.

REGIÃO ANDINA

* O Ministro da Economia e da Fazenda do Peru, Alfredo Thorne, nomeou o executivo do Scotiabank Perú S.A.A. Pedro Grados como novo diretor do principal banco de desenvolvimento do país, a Corporación Financiera de Desarrollo SA, ou COFIDE, informou o Gestión. Grados substitui Carlos Abel Paredes Salazar, que atuou como CEO interino da COFIDE desde maio.

* O Bancolombia S.A. anunciou que Augusto Restrepo Gomez deixou o cargo de diretor de serviços corporativos para se dedicar a projetos pessoais. O conselho da empresa nomeou Jaime Alberto Villegas Gutierrez como seu novo diretor de serviços corporativos. Gutierrez continuará atuando como diretor de inovação e transformação digital até que um substituto seja nomeado.

* O Bancolombia SA anunciou que seu conselho aprovou um programa global para a emissão de títulos de curto prazo no valor de até 1,5 bilhão de dólares. O programa terá duração indeterminada e os títulos terão vencimentos entre um mês a três anos.

CONE SUL

* O Banco Santander Río S.A. anunciou a abertura de uma agência na cidade de Laferrere, localizada na província argentina de Buenos Aires.

* O BBVA Banco Francés SA anunciou a conclusão da compra de uma participação de 51% na Volkswagen Credit Compañía Financiera S.A.. No negócio, o BBVA adquiriu 23,97 milhões de ações ordinárias da Volkswagen Credit por 53,04 milhões de pesos argentinos.

* As empresas argentinas estão evitando a emissão de títulos mesmo depois que o país encerrou seu litígio prolongado com credores dos chamados títulos de holdout e retornou a mercados internacionais no começo de 2016, informou a Bloomberg News. "Após 10 anos de separação e de isolamento do resto do mundo, as empresas não estão prontas", disse Marcelo Mindlin, presidente da Pampa Energia SA. "As empresas demoram a se acostumar com o novo cenário."

* O Secretário do Tesouro americano Jack Lew elogiou as medidas de reforma econômica do governo argentino e disse que os Estados Unidos tentarão acelerar a troca de informações fiscais que poderiam ajudar o país sul-americano a repatriar ativos do exterior, informou a Reuters.

* O presidente do Banco Central de la República Argentina, Federico Sturzenegger, disse que a meta de inflação do banco central em 2018 ficará entre 8% e 12%, em comparação com uma faixa de 12% a 17% para 2017, informou a Reuters.

* Danilo Astori, Ministro da Economia do Uruguai, disse que o governo identificou 79 localidades que estão enfrentando desafios em termos de inclusão digital, informou o El Observador. Essas localidades serão priorizadas em um programa de inclusão financeira do governo.

PANORAMA DA AMÉRICA LATINA

* A Markel Corp. nomeou Arjan van de Wall como diretor de desenvolvimento para as Américas em sua operação de crédito comercial e risco político com sede em Nova York. A função de Van de Wall é auxiliar no crescimento comercial nos Estados Unidos, Canadá e América Latina.

* Um estudo da LexisNexis Risk Solutions concluiu que os bancos geralmente rejeitam entre 6% e 15% dos clientes potenciais devido a questões legais e regulatórias, informou a Reuters. Segundo a pesquisa, bancos brasileiros tendem a rejeitar o maior número de pessoas.

A S&P Global Inc. adquire S&P Global Ratings e Global Market Intelligence.

Paula Mejía contribuiu para esse artigo.

The Daily Dose tem um prazo editorial de 8:00 am horário de São Paulo, e verifica as fontes de notícias publicadas em inglês, português e espanhol. Alguns links externos podem exigir uma assinatura.