trending Market Intelligence /marketintelligence/en/news-insights/trending/ch_XocgTsBJbYawQPbYAmw2 content esgSubNav
Log in to other products

 /


Looking for more?

Contact Us
In This List

BM&FBOVESPA aumenta participação na Bolsa de Lima

Blog

Banking Essentials Newsletter: May Edition

Podcast

Street Talk Episode 76: Record pace of fintech M&A, funding in Q1'21 has legs

Street Talk – Episode 76: Record pace of fintech M&A, funding in Q1'21 has legs

Fintech Intelligence Digital Newsletter: April 2021


BM&FBOVESPA aumenta participação na Bolsa de Lima

* A BM&FBOVESPA SA – Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros afirmou que agora é a maior acionista da Bolsa de Valores de Lima S.A., depois de aumentar sua participação para 8,59%, por meio de cerca de 50,7 milhões de soles peruanos em compras no mercado. A BM&FBOVESPA também declarou que seu conselho nomeou Roberto Augusto Belchior da Silva para atuar como diretor-gerente de desenvolvimento de mercado para a América Latina.

* O Grupo Financiero Banorte S.A.B. de C.V. registrou lucro líquido de cerca de 5,24 bilhões de pesos mexicanos no quarto trimestre de 2016, 6% acima dos 4,94 bilhões de pesos do mesmo período do ano anterior. A receita líquida de juros da empresa cresceu 7% ao ano para 13,17 bilhões de pesos, enquanto as provisões subiram 31%, atingindo 3,26 bilhões de pesos.

MÉXICO E AMÉRICA CENTRAL

* O peso mexicano caiu acentuadamente no dia 26 de janeiro, depois que o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, declarou que o presidente dos EUA, Donald Trump, pretende instituir um imposto de 20% sobre as importações mexicanas para pagar o custo da construção de um muro na fronteira entre os dois países. O presidente mexicano Enrique Peña Nieto cancelou sua viagem planejada para Washington, mas o ministro de Relações Exteriores, Luis Videgaray, disse que os dois lados "continuarão negociando", informou a Bloomberg News.

* Os executivos do Citigroup Inc. estão otimistas em relação à economia mexicana e à unidade local do Banco Nacional de México SA Integrante del Grupo Financiero Banamex, uma vez que esperam que os custos trabalhistas baixos aumentem a competitividade do país nas exportações globais, mesmo que o novo governo dos EUA altere os acordos comerciais existentes, informou a Reuters.

BRASIL

* Em um comunicado à S&P Global Market Intelligence, a BM&FBOVESPA SA confirmou que suspenderá 16 empresas do mercado público devido ao não cumprimento de uma ou mais regras da operadora de bolsa. Os nomes das empresas suspensas serão divulgados após a negociação no mercado em 27 de janeiro.

* O volume de operações de crédito no Brasil totalizou 3,107 trilhões de reais em dezembro de 2016, uma queda de 3,5% em relação aos níveis do ano anterior, segundo dados do banco central. Os índices de inadimplência do total de empréstimos alcançou 3,7% em dezembro de 2016, com uma queda de 10 pontos-base em relação ao mês anterior, mas ficando acima dos 70 pontos-base em relação ao mesmo período de 2015.

* O ministro do Comércio, Marcos Pereira, declarou que o país poderá melhorar as relações comerciais com os países do Pacífico e da Europa se o novo governo dos EUA adotar políticas protecionistas, informou a Reuters. "Até agora, o Brasil não apareceu na mira de Trump. Acho que os fabricantes brasileiros não serão afetados e que nossas discussões comerciais com Washington continuarão avançando", disse ele.

* O Conselho Monetário Nacional do Brasil anunciou novas regras para linhas de crédito rotativo cedidas por empresas de cartão de crédito a fim de reduzir as taxas de juros para os consumidores, informou a Reuters. Segundo o órgão, os consumidores que não conseguem pagar totalmente sua fatura mensal só podem usar linhas de crédito rotativo por um mês. De acordo com as novas regras, que os bancos devem cumprir até 3 de abril, o saldo deve ser financiado em parcelas com taxas reduzidas.

* A recente decisão do banco central brasileiro de flexibilizar os requisitos de reserva para bancos comerciais pode resultar em maiores empréstimos e regulamentação menos rigorosa para o setor, informou a Reuters, citando o CEO do Banco Santander (Brasil) SA, Sérgio Rial.

* O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou que a eventual privatização do Banco do Estado do Rio Grande do Sul SA faz parte das negociações do governo federal com o estado do Rio Grande do Sul, mas que uma decisão final ainda não foi tomada, Informou o Valor Econômico.

* O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social reduziu seus empréstimos em um recorde de 12,8% em 2016, contribuindo para um declínio geral de 3,7% do crédito de bancos públicos no ano passado, informou o Valor Econômico. Separadamente, o banco anunciou que a entrada de um novo investidor em um projeto de renovação do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, é vital para o sucesso do projeto.

* O CEO do Banco Santander (Brasil) SA, Sérgio Rial, declarou que o banco impulsionará os empréstimos às pequenas e médias empresas em 2017, depois da queda anual de 7,6% nos empréstimos ao setor em 2016, informou o Diário Comércio Indústria & Serviços.

REGIÃO ANDINA

* O ministro da Economia peruano, Alfredo Thorne, declarou que a economia do país crescerá 3,8% em 2017 sem medidas de estímulo, mas que com muitos investimentos governamentais alinhados, porém, o crescimento poderá chegar a 4,8%, informou o Gestión.

CONE SUL

* A S&P Global Ratings revisou a perspectiva do Chile de estável para negativa para refletir o risco de que o baixo crescimento econômico prolongado possa resultar em déficits fiscais maiores do que o esperado, levando a aumentos contínuos da dívida pública. Isso provavelmente enfraquecerá o perfil financeiro do soberano e poderá também contribuir para a erosão da posição externa do país. A S&P também confirmou as notas de moeda estrangeira de longo prazo em AA- e de curto prazo em A-1 para o Chile.

* O Deutsche Bank SA, com sede na Argentina, anunciou que Siro Pablo Astolfi deixou o cargo de diretor por "motivos pessoais". A vice-diretora Julieta de Ruggiero deverá substituí-lo até a próxima reunião geral anual da empresa.

* Uma pesquisa da Fitch Ratings mostrou que os gestores de investimentos chilenos mantêm altos padrões alinhados com as melhores práticas globais para operações de serviços aos clientes. A maioria dos gestores entrevistados emprega uma perspectiva de nível ascendente relativamente equilibrada, segundo a agência de classificação de risco.

* O conselho administrativo do Banco de Galicia y Buenos Aires SA aprovou a emissão de títulos negociáveis classe III por até 550 milhões de dólares, ou seu equivalente em outras moedas. A receita dos títulos será usada para vários fins, inclusive como capital de giro na Argentina e para o refinanciamento de passivos.

* A associação bancária chilena ABIF anunciou que os bancos privados do país avaliarão caso a caso o reajuste de crédito para pessoas afetadas por incêndios, segundo informou o Pulso.

* A Comissão Nacional de Valores Mobiliários (CNV) da Argentina aprovou a criação de um fundo fechado dedicado a investimentos em energia renovável, informou El Cronista.

* A atividade econômica na Argentina registrou retração de 1,4% em novembro de 2016 em comparação com o mesmo período do ano anterior, mas aumentou 1,4% em relação a outubro, informou a Reuters, citando dados do governo.

A S&P Global Inc. adquire S&P Global Ratings e S&P Global Market Intelligence.

Matthew Craze contribuiu para esse artigo.

The Daily Dose tem um prazo editorial de 8:00 am horário de São Paulo, e verifica as fontes de notícias publicadas em inglês, português e espanhol. Alguns links externos podem exigir uma assinatura.