trending Market Intelligence /marketintelligence/en/news-insights/trending/BOU4LbIQ_EhT8Uly227Mkg2 content esgSubNav
Log in to other products

Login to Market Intelligence Platform

 /


Looking for more?

Contact Us
In This List

BM&FBOVESPA vende sua participação na CME; Cetip teria aceito proposta de fusão

Banking Essentials Newsletter December Edition Part 2

Banking Essentials Newsletter - November Edition

Online Brokerage Space Should Remain Rich Source Of M&A

University Essentials | COVID-19 Economic Outlook in Banking: Rates and Long-Term Expectations: Q&A with the Experts


BM&FBOVESPA vende sua participação na CME; Cetip teria aceito proposta de fusão

* A BM&FBOVESPA SA – Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros vendeu sua participação total de 4% no CME Group Inc. a fim de aumentar os fundos para a fusão proposta com a Cetip SA – Mercados Organizados. A BM&FBOVESPA notou que, com base em estimativas preliminares, a venda gerou uma perda contábil de 470 milhões de reais, o que causará um impacto nos lucros da empresa no segundo trimestre. Enquanto isso, fontes próximas às negociações disseram à Folha de S.Paulo que a Cetip aceitou a proposta de tomada de controle da BM&FBOVESPA, mas ainda não fez um anúncio formal.

MÉXICO E AMÉRICA CENTRAL

* A CNBV, órgão regulador de serviços bancários do México, aumentou as exigências de capital para instituições locais de crédito que estão enfrentando situações adversas nos mercados financeiros a fim de proteger melhor o sistema bancário, de acordo com uma resolução publicada no Diário Oficial do país.

* O Grupo Financiero Santander Mexico SAB de CV e o Banco Nacional de Comercio Exterior SNC assinaram memorandos de entendimento com a Korea Trade Insurance Corp., conhecida como K-sure, para promover negócios e investimentos entre a Coreia e o México. 

* A concorrência está ficando acirrada entre os bancos mexicanos, que tentam atrair clientes de cartão de crédito com ofertas de taxas de juros mais baixas, informou o El Financiero, citando Héctor Grisi, CEO do Grupo Financiero Santander Mexico SAB de CV. 

BRASIL

* O aumento nas taxas de inadimplência no Brasil pressionará o sistema financeiro em 2016 já que as margens financeiras dos bancos serão comprimidas por despesas com provisão mais altas em preparação para um resultado deficitário, informou o Banco Central do Brasil. O banco central afirmou que a solvência do sistema financeiro é apropriada, dados os altos níveis de capitalização e os resultados obtidos com testes de estresse.

* A EFG International AG disse que seu conselho irá propor um aumento preventivo de capital das ações ordinárias para até 500 milhões de francos suíços para ajudar na aquisição da unidade suíça BSI SA do BTG Pactual Group.

* Ricardo Marino, vice-presidente do Itaú Unibanco Holding SA, disse que a empresa está interessada nos ativos do Citigroup Inc. na América Latina, informou o El Economista. Em uma nota separada, Marino disse que o Itaú fará uma provisão extraordinária para o Itaú CorpBanca, conhecido anteriormente como Corpbanca, para as perdas com clientes corporativos, informou o Diário Comércio Indústria & Serviços.

* O BTG Pactual Group disse que uma investigação de quatro meses feita por uma comissão externa não encontrou evidência de envolvimento do banco nas diversas alegações relacionadas à prisão do ex-Presidente e CEO, André Esteves. "Com base nas investigações, o conselho não encontrou nenhum fundamento para concluir que Esteves, o BTG Pactual ou qualquer um de seus funcionários esteja envolvido em qualquer ato de corrupção ou ilegalidade", disse a empresa.

* O governo do Brasil negou as recentes acusações feitas em 7 de abril de que a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff em 2014 foi parcialmente financiada por fundos obtidos de subornos ilegais, informou a Reuters. Segundo uma nota separada da agência de notícias, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo disse que o governo acredita ter suporte suficiente na Câmara dos Deputados do Congresso para evitar que a presidente seja destituída. 

* O total de prêmios subscritos no Brasil aumentou 5,42% na comparação anual em janeiro, chegando a 8,45 bilhões de reais, enquanto os prêmios subscritos de seguros de veículos caíram 19,8% no mesmo período, atingindo 2,4 bilhões de reais, informou o BNamericas, citando dados da SUSEP, órgão regulador de seguros no país.

* Rodrigo Janot, procurador-geral do Brasil, recomendou que o Supremo Tribunal Federal impeça que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja nomeado como atual chefe de gabinete da presidente Dilma Rousseff, informou a Reuters. Janot argumentou que a nomeação visava interromper uma investigação de corrupção na petrolífera Petrobras. 

* Em uma conferência de resseguros no Brasil, os líderes do setor disseram que embora o Brasil enfrente vários desafios econômicos e políticos, eles ainda veem um grande potencial no mercado de seguros do país, segundo a A.M. Best. 

* A inflação no Brasil deve cair em 2016 à medida que o efeito do dólar valorizado perder força, disse em um discurso o presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini. Ele também afirmou que o banco central não está pensando em reduzir sua taxa de juros de referência, informou a Reuters. 

* O Brasil está passando por um dos capítulos mais difíceis de sua história e, se o PIB do país diminuir 4% em 2016, conforme esperado, será a pior recessão do século, informou o Valor Econômico citando Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco Holding SA. 

* Uma lei de São Paulo que requer que agências de crédito, como a Serasa Experian e Boa Vista Serviços, notifiquem os devedores antes de incluir seus nomes em listas de inadimplentes, pode ser adotada por outros estados brasileiros, uma ação que pode aumentar o custo do crédito, informou o Valor Econômico. Pelo menos outros 10 estados estão pensando em adotar a lei. 

* Executivos de grandes bancos brasileiros solicitaram uma reunião com a Caixa Econômica Federal no início de março para pedir que o credor aumente as taxas de juros sobre os empréstimos para financiamento da casa própria, informou a Folha de S.Paulo. Essa reunião teria supostamente influenciado a decisão da Caixa de aumentar as taxas em 28 de março.

* A Caixa Econômica Federal já vendeu 23 bilhões de reais de empréstimos inadimplentes desde 2014 em uma tentativa de limpar seu balanço, informou o jornal O Estado de S.Paulo, citando analistas.

* O Banco Central do Brasil descartou uma regra que exigia que os bancos fechassem contas de clientes se eles tivessem irregularidades com o fisco do país, informou o Diário Comércio Indústria & Serviços.

* João Albino Winkelmann, um dos diretores da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, Anbima, disse que um número cada vez maior de clientes de bancos de investimento está adquirindo ativos locais baratos individualmente em vez de atuarem por meio de suas empresas, informou o Diário Comércio Indústria & Serviços.

CONE SUL

* Um grupo de detentores de títulos da Argentina, incluindo o Red Pines LLC, Procella Holdings e VR Global Partners, quer impedir que o país faça acordos de pagamento de mais de 6,2 bilhões de dólares até que seus títulos sejam pagos, informou o Bloomberg News.

* Na semana de 11 de abril a Argentina começará a divulgação da primeira emissão global de títulos soberanos em 15 anos, informou a Reuters, citando os principais banqueiros. A Argentina mobilizou o Deutsche Bank, HSBC, JPMorgan e Santander para organizar reuniões em Londres, Nova York, Boston e Washington. 

* Após o vazamento dos Papéis de Panamá, um procurador federal da Argentina investigará se o presidente Mauricio Macri omitiu deliberadamente detalhes de suas supostas holdings offshore, informou o Cronista.

* Alejandro Vanoli, ex-presidente do Banco Central de la República Argentina, acusou o governo do presidente argentino Mauricio Macri de desvalorizar a moeda local e corroer o poder de compra dos cidadãos do país, informou o Cronista.

* As autoridades chilenas estão investigando o paradeiro de Alberto Chang, proprietário da empresa de participações privadas Grupo Arcano, em meio a suspeitas de que a empresa não tem caixa suficiente para cumprir suas obrigações financeiras, informou o Pulso.

PANORAMA DA AMÉRICA LATINA

* A Fitch Ratings prevê que o PIB regional na América Latina encolherá 1% em 2016, após uma retração estimada em 0,9% em 2015, com riscos apontando para um recuo ainda maior. A região continua sofrendo com os preços mais baixos das commodities, o crescimento moderado da China, a volatilidade financeira externa e, em alguns casos, a instabilidade política.

Matthew Craze contribuiu para esse artigo.

The Daily Dose tem um prazo editorial de 8:00 am horário de São Paulo, e verifica as fontes de notícias publicadas em inglês, português e espanhol. Alguns links externos podem exigir uma assinatura.