NESTA LISTA

Selecionando um índice de dividendos? Três fatores que valem a pena considerar

Limiting Risk Without Limiting Equity Exposure

Selecionando um índice de dividendos? Três fatores que valem a pena considerar

Retrospectiva do histórico de dividendos

Os dividendos nasceram no século XVI, quando os capitães de navios a vela na Holanda e na Grã-Bretanha começaram a vender compensações de viagens com motivação financeira aos investidores. Desde 1956, os dividendos têm sido responsáveis por aproximadamente um terço do retorno do patrimônio total do S&P 500® , com a valorização do capital contribuindo com os outros dois terços. Hoje, a maioria dos participantes do mercado sabe que tanto a receita de dividendos sustentáveis como o potencial de valorização do capital informam expectativas de rentabilidade total. 

A importância dos dividendos no ambiente macroeconômico da atualidade Com a introdução do QE3 pelo Federal Reserve, os participantes do mercado continuam a buscar o rendimento em fundos de títulos corporativos de grau especulativo. Os ETFs dos títulos de alto rendimento atraíram entradas de USD 16,6 bilhões em 2012, o dobro de 2011.

A maior demanda tem forçado para baixo os rendimentos efetivos em títulos de alto risco nos EUA a partir de uma média de 9,97% em 1997 até 5,66% em 29 de março de 2013.Embora os rendimentos tenham aumentado ligeiramente nos últimos meses para 6,1% no final de julho de 2013, alguns participantes do mercado podem se perguntar se eles estão sendo adequadamente compensados pelo risco que estão assumindo.

Agora, as ações estão sendo negociadas a baixo preço em comparação com títulos de alto rendimento. Uma medida padrão normalmente utilizada para comparar os retornos sobre o patrimônio aos de outras classes de ativos é o rendimento dos ganhos. Analisar o rendimento dos ganhos pode ajudar a determinar se o retorno é ou não proporcional ao risco adicional relacionado com ações. No caso de ações dos EUA, normalmente o rendimento dos ganhos é medido pelos ganhos de 12 meses anteriores do S&P 500 divididos pelo nível de seu índice.

O Gráfico a diferença de rendimentos de ganhos entre o Barclays Corporate High Yield Bond Index e o S&P 500 desde 2002. Embora os rendimentos do Barclays Corporate High Yield Bond Index tenham aumentado nos últimos meses, a partir de 31 de julho de 2013, o rendimento dos ganhos do S&P 500 foi ainda maior por uma pequena margem. Essa dinâmica tem sido constante desde a última metade de 2012.

pdf-icon PD F Baixar artigo completo

Limiting Risk Without Limiting Equity Exposure

Contributor Image
Berlinda Liu

Director, Global Research & Design

Market volatility can be a powerful enemy of long-term performance. Traditional indexing generally allows investors to diversify individual company risk and still enjoy exposure to 100% of the market return. However, this approach also exposes investors to 100% of the market’s volatility, which accounts for the high cost of volatility in a well-diversified equity portfolio. During times of heightened volatility, there is greater demand for broad equity market exposure with built-in control over market volatility.

S&P Dow Jones Indices offers a variety of investment solutions that can help investors attempt to mitigate market volatility while still seeking equity exposure at the same time. These indices provide a new level of innovation for investors looking to gain exposure to the large-cap U.S. equity market. In this piece, we will focus on the following indices, each of which has a distinct approach to limiting market risk:

  • S&P 500® Risk Control Index Series
  • S&P 500 Low Volatility Index
  • S&P 500 Dynamic VEQTOR Index

The S&P 500 Risk Control Index seeks to maintain an established volatility target by dynamically allocating between the S&P 500 and cash, according to a current measure of realized volatility in the equity market. The index increases its allocation to cash when the risk level is too high, and uses leverage when the risk level is too low. The target risk levels available for this index series are 5%, 10%, 12% and 15%. Exposure to the underlying index and cash is adjusted on a daily or monthly basis, depending on the subindex.

The S&P 500 Low Volatility Index seeks to control risk through stock selection and alternative weighting. The index consists of the 100 least volatile stocks in the S&P 500, with each stock weighted relative to the inverse of its realized volatility; the least-volatile stocks receive the highest weights. The realized volatilities of the constituents of the S&P 500 are calculated using daily price data for the prior year. These volatilities are used to rank the 500 constituents to determine eligibility for the S&P 500 Low Volatility Index. The index is rebalanced quarterly.

The S&P 500 Dynamic VEQTOR Index attempts to hedge equity portfolio tail risk using derivative overlay techniques. It dynamically allocates between the S&P 500 and the S&P 500 VIX Short-Term VIX Futures Index, according to the realized volatility of the equity market and the implied volatility of the S&P 500 options. The allocation is evaluated and adjusted daily. A stop-loss feature is also included to limit downside risk. If the index loses more than 2% in a week, the index allocates 100% to cash.

pdf-icon PD F Baixar artigo completo

Processando ...