Avaliação de Preço

O preço do biodiesel europeu

  • O que é biodiesel?
  • Como avaliamos o biodiesel europeu?
  • Evolução do Mercado Europeu de Biodiesel

O que é biodiesel?

Biodiesel é um termo abrangente que cobre uma série de potenciais combustíveis obtidos através do processo de transesterificação de diversas matérias-primas, tais como semente de canola, óleo de dendê, soja, ou até mesmo óleo de cozinha e sebo. Na maioria dos casos, a mistura desses biodieseis no tradicional mercado de combustíveis é controlada por decretos dos governos nacionais ou continentais, geralmente utilizados para determinar os percentuais da mistura. Muitas das maiores economias da região europeia tendem a ter uma porção predominante de veículos a diesel em suas frotas, com regimes tributários preferenciais que deixam o diesel mais barato nas bombas. Como tal, o diesel tende a cobrir a maior parte da demanda por combustíveis rodoviários na Europa. Por associação, o biodiesel tende a dominar a demanda por biocombustíveis em todo o continente. Entretanto, ao contrário do etanol, o mercado de biodiesel cobre uma ampla gama de potenciais combustíveis, dentre eles, éster metílico de ácido graxo (FAME), que é a mistura de biodiesel predominante no continente; e éster metílico do óleo de canola (RME), que compõe a maior parte da oferta de biodiesel produzido pela indústria local com semente de canola cultivada na região. Junto com o FAME e o RME, existem outros ésteres metílicos que contribuem para a mistura, dentre eles, o do sebo (TME), do dendê (PME), do óleo de cozinha usado (UCOME) e da soja (SME). Para a maioria desses ésteres, o desempenho do biodiesel nos meses de clima frio determina os padrões de demanda e preço, e o tipo de éster utilizado na mistura varia durante o ano. Além das propriedades relacionadas ao frio, a demanda por biodiesel na região da UE é afetada pelos vários esquemas de conformidade que foram implementadas em âmbito nacional e continental. Dentre eles, os principais são a Diretiva de Energia Renovável (RED), e a Diretiva de Qualidade dos Combustíveis (FQD), estabelecidas pelo Parlamento Europeu. A RED, em particular, implica o compromisso dos países europeus com a contribuição mínima de 10% de biocombustíveis nos transportes até 2020. Entretanto, o caminho para se chegar a essa conformidade é estabelecido em âmbito nacional. Assim, a Europa é uma "colcha de retalhos" de exigências para misturas que variam entre 2-8%, mas todas com o objetivo comum de produzir 10% dos combustíveis rodoviários através de fontes sustentáveis até 2020. A Alemanha é o maior mercado de biocombustíveis da Europa, e o segundo maior do mundo, atrás apenas dos EUA. Países individuais também podem criar os próprios esquemas nacionais como o que foi implementado recentemente na Alemanha, focado na economia de gases do efeito estufa (GHG), gerada pelo uso de biocombustíveis em comparação com os combustíveis minerais equivalentes. Os esquemas de certificação consideram todo o ciclo de vida, desde o campo até o tanque de combustível, e têm o objetivo de estimular o uso de matérias-primas que maximizam a economia de GHG. Cada vez mais, refinarias como Neste, Repsol, ENI e Total também estão adotando o hidrorrefino de óleos vegetais para a produção de biodieseis iguais, ou mesmo superiores, ao biodiesel mineral. Atualmente, a Platts não publica avaliações de óleos vegetais hidrorrefinados (HVO). Ao mesmo tempo em que é o tipo predominante, o FAME é, por sua vez, uma mistura de outros ésteres metílicos; isso significa que a Europa pode precisar importar PME e SME da Ásia e das Américas, embora os embargos comerciais possam impactar e complicar essas operações. O RME tende a ser produzido pela indústria local, com as plantações próprias de sementes de canola da Europa. Os requisitos do FAME são ainda subdivididos em duas categorias - FAME 0 e FAME -10. O valor numérico indica as propriedades do combustível para o frio; todos os componentes do FAME 0 têm que ser adequados para operações em temperaturas positivas a partir de 0 ºC. O FAME -10 é a versão para clima frio; todos os componentes têm que ser adequados para operações em temperaturas negativas a partir de -10 ºC. Como no caso do diesel mineral, o desempenho do biodiesel em clima frio é determinado por dois fatores principais: o ponto de névoa e o ponto de entupimento de filtro a frio (CFPP). O ponto de névoa refere-se à temperatura na qual cristais de cera começam a se formar no biodiesel - para o PME, o ponto de névoa pode chegar a +10 ºC. O CFPP refere-se à temperatura na qual o biodiesel vai congelar no motor. A Platts publica uma série de avaliações de preço de biodiesel para a região europeia, com preços expressos como preço absoluto e como prêmio em relação ao contrato de futuros subjacente. Em comum com a maioria dos destilados intermediários, os preços do biodiesel para a Europa são geralmente expressos como diferencial de preço (e tipicamente como prêmio substancial) em relação ao contrato de futuros de gasóleo de baixo enxofre da ICE. Também são publicados preços para os biodieseis que atendem aos requisitos do esquema RED. Em todos os casos, os preços são baseados no mercado de barcaças no principal polo comercial de Amsterdã-Roterdã-Antuérpia, tipicamente em barcaças de 1.000 toneladas. Além disso, nas avaliações, a Platts reflete as indicações do T2 com impostos incluídos.

Como avaliamos o biodiesel europeu?

As avaliações Platts de preço do biodiesel são baseadas em dados de mercado, robustos e transparentes, que incluem ofertas de compra e venda firmes, manifestações de interesse e transações confirmadas divulgadas durante o processo de avaliação Market On Close, dentre outras.Além destas, outras indicações coletadas no mercado, cruzadas e verificadas por nossa equipe editorial e inseridas na seleção publicada nos nossos serviços de informação também podem ser consideradas. Na Europa, o biodiesel é avaliado em dólares americanos por tonelada (US$/t), e reflete o valor negociável e repetível no mercado spot às 16h30 (horário de Londres).A Platts coleta os dados sobre preços em amplo segmento do mercado, que inclui fabricantes e distribuidoras de biodiesel, bem como traders agrícolas, misturadoras, varejistas e refinarias de combustíveis.Os dados coletados pela Platts são integralmente publicados no nosso serviço em tempo real, Platts Biofuels Alert, e são resumidos na publicação diária, Biofuelscan.Comentários e avaliações adicionais também podem ser encontrados no nosso Weekly Global Biodiesel Report.A Platts também publica avaliações do biodiesel SME para o mercado dos EUA, e avaliações do PME para o mercado da Ásia.

Evolução do Mercado Europeu de Biodiesel

A variedade de matérias-primas dá origem a uma variedade de misturas; isso significa que o mercado europeu de biodiesel é relativamente fragmentado, e as avaliações Platts evoluíram acompanhando as mudanças legislativas e do cenário das matérias-primas do setor do biodiesel. A Platts começou a avaliar as principais especificações de biodiesel em 2007. As especificações que estão em conformidade com a RED foram introduzidas em 2012.Desde então, a Platts ampliou o pacote oferecido com o lançamento da avaliação do SME em barcaça, além das avaliações RED em 2012 e da avaliação do PME lançada em 2014.Como parte da aquisição da Kingsman em novembro de 2012, a Platts também assumiu a responsabilidade pela publicação dos preços semanais do UCOME. Em outubro de 2014, a Platts também introduziu um processo eWindow MOC.Nós trabalhamos continuamente com os principais stakeholders da indústria, a fim de garantir que nossas avaliações de preço evoluam alinhadas às mudanças das condições do mercado. A Platts realiza, regularmente, fóruns sobre metodologia, seminários pela Internet e reuniões pessoais para a troca de ideias sobre o futuro do biodiesel.

Veja todos os produtos e serviços de agricultura